Artista

 

ONTEM, HOJE, AMANHÃ.

Nasci em São Paulo numa madrugada de outubro de 1946. Minha mãe era funcionária pública do estado e meu pai, dentista. Fui educado com quatro irmãos num ambiente cordial, calmo, amigo, sério e honesto. Minha mãe injetou em mim o vírus de empreender. Como filho mais velho, vivi a fase financeira mais difícil e, aí, aprendi a ser austero. Aos 18 anos, comecei a trabalhar como estagiário em indústrias têxteis. Logo depois, cursando Psicologia e Ciências Econômicas, comecei a dar aulas de Ciências e História. Foram dois anos pegando seis ônibus por dia. Em seguida, me tornei gerente de agência do Banco Nacional. Aqui termina, aos 25 anos, meu primeiro período de aprendizagem, onde fui buscar, sem apoio, meus primeiros empregos.

Aos 26 anos, ingresso na Volkswagen do Brasil como praticante na função de instrutor de vendas e, 11 meses depois, me caso com Tânia, minha esposa e companheira até hoje. Começo então uma fase inquieta, quando, no treinamento de vendas, percebi que não mais estava agregando nada aos meus conhecimentos. A partir daí, busquei mudanças. Aprendi muito estagiando por 15 dias na AlmapBBDO e participando do Salão do Automóvel. Fui promovido a chefe nacional de vendas a frotistas, gerente regional em Recife e Brasília, gerente nacional de vendas das regiões norte e sul. Foram 15 anos, quando comecei a sentir que não mais estava agregando conhecimentos. Pedi demissão aos 40 anos. Fui chamado de louco, me mudei para Fortaleza e me tornei sócio e diretor superintendente da Saga.

Assim começa a terceira etapa, que durou 27 anos. De menor concessionária, a Saga se tornou a maior empresa do setor. Foi nesta fase que viajei e conheci países das Américas do Norte e Sul, Europa, Oceania e Ásia. Meu foco sempre foi o desenvolvimento do time e consegui promover e formar grandes profissionais e executivos. Marketing foi meu outro foco, e a marca Saga se tornou a mais lembrada e conhecida há décadas. Foi durante este período que comecei a me incomodar novamente pelo marasmo e mesmice do dia a dia. Surgiu então o Magold, um artista plástico latente. Fui fazer um curso durante um ano. Comecei a pintar telas com tintas acrílicas. Já são 15 anos pintando arte abstrata e mais de 300 quadros produzidos.

No final de 2013, saí da direção e sociedade da Saga, concessionária VW e, então, inicia-se a última e longa etapa de minha vida. Um "NOVO TEMPO", como diz Ivan Lins numa de suas mais verdadeiras e melodiosas músicas.

Marcos Goldstein